Copy.com – Um bom serviço para rivalizar com o G Drive, Dropbox e Skydrive

agosto 28, 2013 1 comentário

Screen-Shot-2013-05-16-at-12.50.39-PMA muito tempo sou um paranóico com relação a backups dos meus arquivos e desde o início utilizei o Dropbox como minha principal ferramenta de armazenamento na nuvem, mas o serviço é caro e o espaço gratuito e mísero…

Um tempo depois veio o Box.net com seus 50 GB no entanto, não possuía nenhuma ferramenta de sincronia com o PC e a interface web era um lixo. Depois conheci vários outros serviços mas nenhum deles me agradou de verdade, sempre tinha algum problema.

Então veio o skydrive e depois o Google Drive e as coisas começaram a melhorar, principalmente porque os preços do armazenamento do G Drive são literalmente metade dos preços do Dropbox.

Mas ai, um dia desses eu conheci o Copy.com, um serviço novo, apesar de pertencer a uma conceituada empresa de serviços digitais e migrei definitivamente de serviço.

Porquê? Simples, porque eles oferecem 15 GB de espaço gratuito e ainda por cima, caso foce se cadastre usando uma recomendação (como essa minha https://copy.com?r=e2qT3M), tanto você quanto a pessoa que te recomendou ganham mais 5 GB de espaço.

Se você tem muitos amigos, é fácil chegar aos 100 GB gratuitos e para a vida toda!

O serviço ainda conta com bons apps para iPhone, iPad, Android (sorry window phone…), Windows, Mac e Linux.

 

Meu veredito, vale sem dúvidas utilizar o Copy.com.

 

Um abraço a todos.

Categorias:Nuvem Tags:, , , , ,

4 cores em um celular – você ainda vai ter um

abril 26, 2012 Deixe um comentário


A Samsung acaba de anunciar o processador que equipará o novo Galaxy S3, que deverá ser lançado no dia 03 de março.
Será um processador com quatro núcleos rodando a 1,4 Ghz cada.

Eu não sou contra a evolução da tecnologia, muito pelo contrario, adoro gadgets que ficam mais potentes e com melhores recursos a cada ano, no entanto, será que realmente precisamos de um celular com tanto poder de processamento?


Em uma direção contrária essa semana foi colocado no mercado o primeiro celular rodando com chip intel, o “Lava Xolo X900” da fabricante indiana Lava.
Esse celular usa um processador intel da nova família Medfield e usa um núcleo único rodando a 1.6 Ghz com Hyperthreading (que simula dois processadores).
Para quem não sabe, essa família deriva do conhecido Atom utilizado em netbooks possui arquitetura x86.
Os programas feitos para ARM são convertidos pelo próprio processador.
Os primeiros testes demostram que os procesadores mobile da intel são comparáveis aos processadores ARM atualmente no mercado, tanto em performance quanto em consumo de bateria e aquecimento e eles podem ser muito úteis quando do lançamento do Windows 8 que terá mais softs compatíveis com a arquitetura x86.

É esperar para ver.

Um grande abraço!

– Posted using BlogPress from my iPad 2

Google Drive: Nuvem demais faz chover..

abril 24, 2012 Deixe um comentário


Que o futuro da computação está na nuvem, não da para negar, mas ultimamente a coisa tem ficado um pouco complicada para o usuário final.
Essa semana o Google lançou seu serviço de disco virtual, o tão esperado “Google Drive”, mas ele ainda faz sentido frente às opções já consolidadas no mercado.


O líder nessa área é o Dropbox que apesar de oferecer o menor espaço gratuito (inicialmente pois você pode ganhar mais espaço convidando amigos) se mostra, na minha opinião o mais maduro de todos.
Possui cliente para OSX, Windows, IOS, Android etc, e sua integração com o sistema é perfeita.
Basta instalar e é criada uma pasta local vinculada aos servidores do serviço Qualquer arquivo colocado (ou editado) ali é sincronizado com a nuvem automaticamente.


Outro que utilizo com freqüência é o Box.net que estava oferecendo 50 Gb gratuitos até pouco tempo atras.
Ele possui pontos negativos, como a falta de um cliente desktop (existem clientes mobiles) na versão gratuita mas funciona bem como um “mega pendrive online” para você compartilhar arquivos com seus amigos.


O Skydrive da Microsoft oferecia “isso mesmo, no passado” 25Gb de grátis, mas, reduziu essa quantidade para cerca de 7 Gb.
Nesse caso temo uma dica: se você já usava os serviços do skydrive antes da redução é só acessar a página de upgrade de espaço que eles estão concedendo os 25 Gb de volta e gratuitamente, mas por tempo limitado.
O Skydrive possui uma ótima integração com o Windows e com o MS Office, além de ter clientes para Windows Phone e IOS (olha a birra contra o Google).


Já o nosso novato, o Google drive, chega com 5 Gb gratuitos e possibilidade de aumentar esse espaço por um preço bem razoável ( para upgrade, o Dropbox é o mais caro, diga-se de passagem).
Possui integração com todos os sistemas operacionais desktop além de cliente android (o cliente para IOS está a caminho).
Tem como trunfo na manga o fato de que quase todo mundo tem uma conta google, seja para usar o Gmail ou Picasa ou Youtube, e como os serviços do Google são todos integrados, fica mais fácil para um usuário comum utiliza-lo do que baixar um app de terceiros.
No entanto, vale ressaltar que pela política de privacidade do google, qualquer arquivo que seja ospedado nos servidores da empresa, passa a ser de propriedade do Google, ou seja, eles podem usar sem te pagar um centavo.

Diante de tantas opões (aqui citamos somente algumas) fica difícil escolher qual a melhor, isso vai de cada usuário e de suas necessidades.
Para mim, a mistura entre Dropbox e Box.net supre minhas necessidades.
Mas fato é que está aglomerando tanta núvem nos céus da internet que a tempestade de serviços causada pode afogar muitos usuários desavisados (ou afoitos).

Um forte abraço.

– Posted using BlogPress from my iPad 2

Review Case com teclado para iPad 2

abril 23, 2012 Deixe um comentário


Colegas, depois de mais de um ano parado sem postar no blog, estou de volta com um review de um produto muito interessante para quem tem um iPad.

Trata-se de um case com teclado bluetooth que além de proteger seu amado gadget, ainda facilita muito a tarefa de digitar no mesmo.

O case em questão foi comprado por $30,00 doletas do Dealextreme (paraíso da moamba), e para minha infelicidade já caiu para menos de $25,00 (sempre acontece…)

Feito em alumínio que pelo menos imita o anodizado, a qualidade geral é muito boa, passa uma boa sensação ao toque e aos olhos.


O case é leve, muito leve mesmo, mas bastante sólido e prende o iPad com muita firmeza, o que pode-se dizer que também é um ponto fraco, pois é meio difícil de abri-lo. (mulheres com unhas grandes vão detestar esse ponto).

A separação entre as teclas é muito boa proporcionando uma digitação fácil mesmo para que tem mãos grandes (como eu). Para mim, bastaram uns 10 minutos para me adaptar e digitar rapidamente.


O teclado também possui várias teclas de atalho para controlar o tablet. Claridade da tela, volume do som, busca, botão home, etc.

A bateria é um show a parte, estou usando o teclado a uma semana com a carga que veio de fábrica e nada dela pedir recarga.


Veredito: Valeu cada centavo (inclusive os pagos a mais).

Para você que precisa de digitar longos textos no iPad, esse é o case indicado!

Um forte abraço!

Opinião: Amazon Kindle 3G

Eu não muito sou ligado em gadgets — pelo menos não tanto quanto outros amigos deste blog geek — mas vira e mexe alguém me pergunta do meu Kindle.

Para quem não é geek, é novo com essa coisa de tecnologia digital ou é novo no planeta Terra, o Kindle é o leitor de livros digitais da Amazon. Se você alguma vez leu algo usando um editor de texto como o Microsoft Word, ou um programa como o Adobe Acrobat Reader, você sabe ou tem condições de imaginar o que é um livro digital. O Kindle é a resposta da Amazon para a crescente demanda por portabilidade, focada naquelas raras pessoas que, no mundo contemporâneo, ainda gostam de apreciar um bom livro.

Vamos ver do que estamos falando:

Imagem de marketing do Kindle

O Kindle pode vir em três versões: Kindle, Kindle 3G e Kindle DX. A única diferença entre o Kindle e o Kindle 3G está na conectividade, visto que o primeiro é restrito a Wi-Fi enquanto o segundo possui acesso 3G global gratuito (sim, você se conecta via 3G de qualquer lugar do mundo sem pagar assinatura por isso). O restante é o mesmo para os dois: tela de 6”, capacidade para armazenar cerca de 3.500 livros, disponível nas cores grafite e branco. Um destes em cor grafite é o Kindle usado na imagem acima. Já o Kindle DX tem tela de 9,7” e 3G globlal gratuito, mas não tem a opção de Wi-Fi.

A bateria do Kindle, com o 3G e Wi-Fi ativos, dura cerca de 5 dias. Com o 3G e Wi-Fi desligados, dura entre 3 semanas e um mês. O Kindle não utiliza energia alguma para manter a página na tela. Se a conectividade estiver desligada você pode esquecer o seu Kindle aberto em uma página de um livro por meses, e quando você encontrá-lo ele ainda estará com aquela página aberta e a bateria no nível que você a deixou.

Agora vamos ao que de fato interessa:

Kindle 3G

Kindle 3G

O QUE É BOM:

O meu Kindle é o Kindle 3G acima. Devido à sua forma, tamanho e leveza ele é extremamente prático de se manusear. Ler em um Kindle é uma experiência única. Graças à tecnologia do E- Ink a tela não emite brilho algum, você tem a verdadeira sensação de estar lendo um livro sem estar cansando os seus olhos como estaria se estivesse usando um tablet ou lendo no monitor do seu computador. A tela também não é reflexiva, logo você pode ler ao ar livre sem problemas, é literalmente como se estivesse lendo um texto escrito no papel.

Você passa as páginas usando os dois botões localizados nos lados do aparelho e usa o limitado teclado para inserir notas e fazer buscas de conteúdo. Ao abrir um livro você pode configurar diversas funcionalidades, como o tamanho das letras, espaçamento entre as linhas, número de palavras por linha, nível de contraste, e existe também o Text to Speak, em que o Kindle converte o texto em áudio, narrando para você (você pode escolher por uma voz masculina ou feminina, mas só fica bom se o texto for em inglês).

Com o Kindle você pode ler qualquer arquivo de texto que esteja nas extensões MOBI, txt e rtf, e ele também abre arquivos em pdf. O mais interessante, porém, é que o texto que você queira ler esteja formatado para o padrão próprio do Kindle, para que você disponha de todas as funcionalidades. Se você tem um livro salvo em outro formato, como rtf ou txt, e gostaria de convertê-lo para o formato Kindle, é fácil: ao registrar o seu aparelho com a Amazon você ganha um endereço de email dedicado. Basta mandar o arquivo para esse endereço que ele será automaticamente convertido para o formato Kindle. Eu fiz isso com Interview with the Vampire, da Anne Rice, e nenhum agente da CIA veio bater na minha porta.

Você pode comprar livros para o seu Kindle 3G diretamente da Amazon através da whispernet, os livros em geral são mais baratos (com livros chegando a custar meros $2.00) e eles são entregues na hora através da sua conexão 3G ou wireless. Quando eu comprei o aparelho imaginei que iria procurar apenas textos gratuitos baixados da internet, mas descobri que é muito legal e barato comprar os livros diretamente, já com a formatação própria. A maior parte do acervo de livros da Amazon, porém, está em inglês, para livros em português é fácil tentar baixar de algum lugar e fazer a conversão.

O QUE NÃO É BOM:

Arquivos em pdf. Se você tem um livro que foi escaneado, ler ele no Kindle vai ser um martírio. Todos os recursos interessantes, como aumentar letras e etc, não estarão disponíveis e você terá de usar o zoom para ler alguma coisa. Se o arquivo em pdf não é um scan, mas texto que pode ser copiado e colado, você pode copiar o texto, colar no Bloco de Notas (por exemplo), salvar como arquivo .txt e fazer a conversão para o formato Kindle normalmente.

Ler no Kindle é como ler um livro… o que significa que você vai precisar de uma vela ou lanterna se a luz acabar na sua casa ou se por algum motivo quiser ler no escuro. A tela do Kindle não emite qualquer luminosidade.

“O Kindle toca mp3? O Kindle navega na Internet?”

Sim e sim, porém muito porcamente visto que ele não foi feito para isso. O Kindle foi concebido como um leitor de livros digitais, e sua função acaba aí. Ele não tem processamento nem design para navegar na internet ou ouvir músicas, e essas funções existem em caráter experimental.

Reparem na foto acima, no quadrado que existe à direita do teclado: imaginem clicar naquilo para pular entre os links e campos de texto de uma página da Internet, muito lentamente. Suponha que tenha de inserir uma senha, e você como qualquer pessoa de bom senso tem uma senha que possua letras e números. Você vai digitar as letras, clicar no botão Sym para inserir números, várias vezes para cada número a ser inserido, isso tudo ocorrendo de forma bastante lenta. Se o website precisar de java ou flash, esqueça: o Kindle não vai conseguir nem olhar pra ele. A conectividade do Kindle existe essencialmente para uma coisa: conectar o aparelho à whispernet da Amazon para que você possa adquirir livros. Já em relação a músicas, você pode salvar mp3s em uma pasta no Kindle e apertar Alt + Espaço para fazer a música começar a tocar. Você pode passar as músicas adiante e retroceder, e só. Não vai ver na tela qual música está tocando nem nada, e é bom estar usando um fone de ouvido para ouvir alguma coisa.

“Tem jogos para o Kindle?”

O Kindle não consegue nem acessar o gmail e você quer JOGOS pra ele?!

CONCLUSÃO

O Kindle é perfeito para aquela pessoa que lê e que quer ter os seus livros sempre consigo. Não estou falando do leitor casual, mas do verdadeiro amante da literatura, aquela pessoa que chega em casa à noite depois do trabalho e deixa computador e televisão de lado para ir ler, que fica ansiosa quando termina um livro para começar o próximo, que não consegue sentar em uma sala de espera sem sacar um livro e por aí vai. Para essa pessoa o conforto do Kindle e o seu grande diferencial, o E-Ink, valem muito a pena. Já pessoas que procuram por uma plataforma multimídia portátil, com jogos, video, música e acesso à Internet: fiquem longe, ele não vai lhes atender.

Categorias:Gadgets, tecnologia Tags:, ,

100 Pop Hello Kitties

Bom, Hello Kitty não é muito minha praia, mas achei isso interessante demais para não postar. O liustrador Joseph Senior está criando 100 modelos da gatinha de pelúcia mais famosa do mundo baseados em ícones da cultura pop. Confira alguns abaixo, e não deixe de ver todos no Flickr:

Terrordrome

outubro 28, 2010 1 comentário

Olá, pessoal! A tempo pro Halloween, trazemos para vocês… TERRORDROME!!! Para todos vocês que são fãs de filmes de terror dos anos 80, e não dispensam um bom jogo de luta, por que não unir os dois? Foi o que um grupo de fãs mais empolgados fizeram…

O jogo, como vocês podem ver, traz gráficos extremamente bem-feitos (ainda mais considerando que é um fan-game), fotorrealistas, remetendo a clássicos como Mortal Kombat e Pit Fighter. A jogabilidade é bem básica, e se você é um jogador veterano desse tipo de jogo, não deverá ter problemas. A escalação é nervosa. Entre os lutadores estão: Jason (Sexta-Feira 13), Freddie Krueger (A Hora do Pesadelo), Michael Myers (Halloween), Ghostface (Pânico), Leatherface (O Massacre da Serra Elétrica), e até mesmo Chuckie (O Brinquedo Assassino) dá as caras, provavelmente para trazer um pouco de humor pra coisa. Se você sempre imaginou como seria um combate entre seus monstros favoritos, agora, não precisa imaginar, é só jogar.

Claro que nem tudo é alegria. Apesar de todas as qualidades, que se destacam novamente por não ser um jogo feito por profissionais, não demora muito pra gente sentir o amadorismo da parada. Pra começar, tive uma certa dificuldade em baixar o jogo, dividido em 3 partes no site oficial, e sem mirrors (links pra download alternativos). Quando finalmente consegui baixar e instalar, o jogo travou algumas vezes, e a navegação é difícil.

O jogo ainda está na fase Beta, então, podemos dar um desconto. Não se sabe quando (ou se) veremos a versão final. Um dos problemas que os desenvolvedores têm enfrentado são ameaças dos estúdios que possuem os direitos dos filmes. Que com certeza, têm direito (literalmente) de reclamar, mas é sempre a sina desses projetos terminar em disputas legais, que poderiam ser evitadas se os donos da propriedade tivesem tido ideias tão legais quanto esses fãs. Mas aí é outra discussão. Por enquanto, o projeto continua, e até o presente momento, você pode ir até o site deles e baixar essa versão Beta, pra fazer alguma coisa diferente no seu Dia das Bruxas.

Categorias:Games Tags:, ,